segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

À conversa com Mário Augusto



Mário Augusto esteve connosco, às 21:30 do dia 13 de Janeiro de 2017 (Sexta-feira), na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, para a já habitual «À conversa com...», trazendo-nos como mote e à memória de cada um de nós A Sebenta do Tempo: manual de memória para esquecidos, a nostalgia e as saudades do nosso tempo da juventude, um tempo em que os telemóveis eram coisa de ficção científica e em que uma viagem de Lisboa ao Porto demorava meio dia.


Este ilustre jornalista abriu, assim, para gáudio dos sexagenários, o baú das recordações e guiou-nos numa viagem ao arquipélago da memória, parando em todas as estações e apeadeiros e prometeu não deixar marco histórico por visitar.


Neste «À conversa com…», Mário Augusto trouxe-nos, de uma forma peculiar, à memória um Manual de Memórias para Esquecidos: Por que é que aos 15 anos o verão nos parecia mais azul? Como se relacionam uma cassete de áudio e uma caneta BIC? E que recordações associamos ao Hotel California, dos Eagles?


Viajando no tempo para recordar os bons velhos tempos, em «A Sebenta do Tempo», neste Manual de Memórias para Esquecidos, Mário Augusto compila as mais queridas recordações de infância daqueles que a viveram entre as décadas de 60 e 70, prometendo momentos saudosistas e revivalistas aos que acarinham memórias da meninice: entre Lambarices e Guloseimas, Leituras e BD, Gira-Discos e Cassetes Piratas no Parque de Diversões, o autor guia os leitores numa autêntica expedição ao passado.


Sendo uma figura acarinhada pelo público devido ao seu trabalho em Cinema, Mário Augusto desafia todos os leitores a imergir no passado e a partilhar as suas memórias neste livro que, com um grafismo muito original, que lembra um diário de recortes, proporciona-nos verdadeiros momentos de nostalgia e de lembrança.


A título de curiosidade, diremos que Mário Augusto nasceu em Março de 1963, em S. Félix da Marinha, perto de Espinho. Jornalista de televisão desde 1986, autor e apresentador de vários programas de divulgação de cinema.


Começou a carreira no jornal O Comércio do Porto. Colaborou no Se7e, na revista Sábado e no Público. Foi um dos fundadores da SIC. Trabalhou como radialista na Rádio Comercial, na Antena 1, na Antena 3 e na Rádio Nova, no Porto.


É o jornalista português que mais estrelas de cinema entrevistou para televisão, contando mais de 2 mil entrevistas ao longo de 28 anos. Fundou e dirigiu a revista Cinemania, realizou e produziu documentários já premiados, foi autor de argumentos para televisão. Na RTP criou e dirige o projeto Academia RTP, destinado a formar e a descobrir novos criadores de audiovisual.


Coordena e apresenta o mais antigo magazine de cinema da televisão Portuguesa, o Janela Indiscreta. É casado e pai de 3 filhos. Vive onde sempre viveu, em Espinho, uma paisagem à beira-mar que não troca por nada.
          Foi uma jornada cultural muito participada, agradável e bem-humorada.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

À conversa com... Mário Augusto

No próximo dia 13 de Janeiro, sexta feira, às 21.30 horas, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, vamos estar à conversa com o jornalista Mário Augusto, autor do livro intitulado  A Sebenta do Tempo.


O autor




Mário Augusto nasceu em março de 1963, em S. Félix da Marinha, perto de Espinho. É jornalista de televisão desde 1986, autor e apresentador de vários programas de divulgação de cinema.
Começou a carreira no jornal O Comércio do Porto. Colaborou no se7e, na revista Sábado e no Público.
Foi um dos fundadores da SIC. Trabalhou como radialista na Rádio Comercial, na Antena 1, na Antena 3 e na Rádio Nova, no Porto.
É o jornalista português que mais estrelas de cinema entrevistou para televisão, contando mais de 2 mil entrevistas ao longo de 28 anos.
Fundou e dirigiu a revista Cinemania.
Realizou e produziu documentários já premiados, foi autor de argumentos para televisão. Na RTP criou e dirige o projecto Academia RTP, destinado a formar e a descobrir novos criadores de audiovisual.
Coordena e apresenta o mais antigo magazine de cinema da televisão Portuguesa, o Janela Indiscreta.

Sinopse

Ainda se lembra das suas primeiras Sanjo? E da revista O Falcão? Ainda se recorda do dia em que viu o homem pisar a Lua? É de memórias e nostalgia que se faz este livro, de saudades desse tempo da nossa juventude, um tempo em que os telemóveis eram coisa de ficção científica e em que uma viagem de Lisboa ao Porto demorava meio dia. Mário Augusto abre o baú das recordações e guia-nos numa viagem ao arquipélago da memória, parando em todas as estações e apeadeiros e promete não deixar marco histórico por visitar. 

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Conversa com Alexandra Lucas Coelho

No dia 18 de Novembro, na Biblioteca Municipal, a conversa com Alexandra Lucas Coelho a propósito do seu mais recente livro intitulado Deu-dará foi assim...







sexta-feira, 14 de outubro de 2016

À conversa com... Alexandra Lucas Coelho

No próximo dia 4 de Novembro, sexta feira, às 21.30 horas, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, vamos estar à conversa com a escritora Alexandra Lucas Coelho a propósito do seu mais recente livro intitulado  Deus-dará.





A Autora
Alexandra Lucas Coelho nasceu em Dezembro de 1967, em Lisboa. Estudou teatro, e comunicação na Universidade Nova. Tem carteira de jornalista desde Janeiro de 1987. Trabalhou dez anos na rádio, como repórter e editora, e entre 1998 e 2012 no jornal «Público», tendo coberto várias zonas de conflito, sobretudo no Médio Oriente e Ásia Central, incluindo uma temporada baseada em Jerusalém. Em 2010 fez uma viagem pelo México e mudou-se como correspondente para o Rio de Janeiro, onde morou até 2014. Foram-lhe atribuídos vários prémios de jornalismo.
Publicou cinco livros de reportagem-crónica-viagem: «Oriente Próximo» (2007), «Caderno Afegão» (2009), «Viva México» (2010), «Tahrir» (2011) e «Vai, Brasil» (2013). Em 2012 lançou o seu primeiro romance, «E a Noite Roda», vencedor do Grande Prémio de Romance e Novela APE 2012, e em 2014 o segundo, «O Meu Amante de Domingo», que saiu em francês, pelas Éditions du Seuil. «Deus-dará» é o seu mais recente romance.
Vários dos seus livros estão publicados no Brasil.


O Livro
Depois de «E a Noite Roda» (Grande Prémio de Romance e Novela APE 2012) e de «O Meu Amante de Domingo» (Livro do Ano Público | Time Out), eis o novo livro de uma das grandes vozes da ficção actual.
Um romance passado agora, que atravessa quinhentos anos de história entre Portugal e Brasil.
«Inês pisca os olhos, tanta gente num mar de luz, floresta cobrindo morro. Nunca mergulhou numa cidade assim. Paraíso deserto é fácil mas isto são milhões de pessoas. Massa humana e natureza. Mais que sul do mundo, outro mundo.
— O apocalipse nunca vai acontecer aqui —diz ela, quase sem pé, apoiada em Tristão.
— Ao contrário. — Os olhos dele estão vermelhos. — É aqui que vai acontecer.»

quarta-feira, 29 de junho de 2016

À conversa com... Cristina Carvalho

No próximo dia 15 de Julho, sexta feira, às 21.30 horas, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, vamos estar à conversa com a escritora Cristina Carvalho a propósito do seu mais recente livro intitulado  NO Olhar e a Alma.


A Autora

Cristina Carvalho nasceu em Lisboa a 10 de Novembro de 1949. Durante a sua actividade profissional, contactou com milhares de pessoas e visitou inúmeros países, sendo a Escandinávia e o Oeste português as regiões que mais ama e que mais influência exercem sobre o seu imaginário e a sua personalidade enquanto transitório ser humano do sexo feminino, habitante do planeta Terra e, por acaso, escritora. Não por acaso, nesta sua actividade a que não chama profissional, é já autora de oito livros, com o presente, e outros seguirão. Até à data, tem publicados: Até já não é adeus (1989); Momentos Misericordiosos (1992); Ana de Londres (1996); Estranhos Casos de Amor (2003); O Gato de Uppsala (2009, seleccionado para o Plano Nacional de Leitura); Nocturno: o Romance de Chopin (2009); Tarde Fantástica (2011), A Casa das Auroras (2011), Lusco-Fusco (2012, PNL), Marginal (2013), Quatro Cantos do Mundo (2014, PNL).


O Livro

Baseado na vida de Amedeo Modigliani, o mítico pintor italiano cuja obra é considerada uma das mais importantes do século XX e a vida apesar de inspirar um fenómeno de culto, não é, afinal, tão conhecida quanto se pensa, Cristina Carvalho regressa ao terreno da ficção biográfica com um romance que põe em cena o pintor, contando-nos ele próprio a sua vida sempre difícil, muitas vezes miserável, conduzida pela paixão à arte, amparada por mulheres apaixonadas e alguns raros homens que lhe reconheceram o talento.


Da luta contra a doença desde a infância à luta pelo reconhecimento numa Paris onde o génio borbulhava em todo o tipo de manifestações e a concorrência era muitas vezes impiedosa, mas onde a generosidade e a solidariedade encontravam também terreno fértil, Modi será sempre um príncipe exilado, por quem as mulheres se apaixonam sem apelo, por quem Picasso nutrirá uma antipatia feroz, em quem Amadeo de Souza Cardoso verá o génio artístico que muitos outros se recusam a ver, oferecendo-lhe amizade e exposição no seu atelier.

Fotos da conversa com Alberto S. Santos