segunda-feira, 6 de março de 2017

Conversa com José Pacheco Pereira

No passado dia 3 de Março a conversa com José Pacheco Pereira sobre Bibliotecas, Arquivos e a colecção Ephemera foi assim:



terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

À conversa com... José Pacheco Pereira

No próximo dia 3 de Março, às 21,30 horas, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo,  vamos estar à conversa com José Pacheco Pereira a propósito da colecção EPHEMERA.

José Pacheco Pereira



Nasceu no Porto, em 1949. Participou na luta contra a ditadura antes do 25 de Abril. Foi professor de vários graus de ensino. Foi deputado na Assembleia da República e no Parlamento Europeu, e dirigente do PSD. Publicou mais de uma dezena de livros sobre história e política. Colabora regularmente na imprensa escrita, na rádio e na televisão. É autor do programa da SIC Notícias Ponto Contraponto e faz parte do

painel do mais antigo debate político português: Quadratura do Círculo. É autor dos blogues «Abrupto», «Estudos sobre o Comunismo» e «Ephemera». Dedica-se desde há muito à preservação de livros, periódicos, documentos e objectos ligados à memória da história contemporânea portuguesa. Criou e mantém o ARQUIVO / BIBLIOTECA EPHEMERA, o maior arquivo privado português.



Colecção EPHEMERA 


Com organização de José Pacheco Pereira, historiador, professor universitário, político e comentador político português, a Tinta-da-China edita a nova coleção Ephemera, em que serão publicados materiais da biblioteca e arquivos pessoais.

Pacheco Pereira reuniu ao longo de décadas o Arquivo e Biblioteca Ephemera, um acervo constituído pela biblioteca de família, pelas aquisições do próprio desde a década de 60 e por muitas doações. A coleção é constituída por uma série de inventários, catálogos, guias de referência, fontes primárias, manuscritos, correspondência, originais dactilografados, panfletos, cartazes, fotografias, autocolantes e iconografia diversa.

O arquivo constitui um universo de materiais históricos e políticos imenso e inédito, que ficará agora publicamente disponível através dos livros da coleção Ephemera. Os títulos até agora publicados são:



- Autocolantes do PPD: Catálogo 1974-1976. (2015)

- Amorzinho – Correspondência entre Maria de Lourdes e Alfredo de 1934 a -1943. (2015)

- Luz nos livros: 30 fotografias estenopeicas. (2015)

- A conquista das almas. (2016)

- Uma nova concepção de luta: materiais para a história da LUAR e da resistência armada em Portugal. (2016)



Baseado em: https://espalhafactos.com/2015/09/12/tinta-da-china-edita-nova-colecao-com-pacheco-pereira/

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

À conversa com Mário Augusto



Mário Augusto esteve connosco, às 21:30 do dia 13 de Janeiro de 2017 (Sexta-feira), na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, para a já habitual «À conversa com...», trazendo-nos como mote e à memória de cada um de nós A Sebenta do Tempo: manual de memória para esquecidos, a nostalgia e as saudades do nosso tempo da juventude, um tempo em que os telemóveis eram coisa de ficção científica e em que uma viagem de Lisboa ao Porto demorava meio dia.


Este ilustre jornalista abriu, assim, para gáudio dos sexagenários, o baú das recordações e guiou-nos numa viagem ao arquipélago da memória, parando em todas as estações e apeadeiros e prometeu não deixar marco histórico por visitar.


Neste «À conversa com…», Mário Augusto trouxe-nos, de uma forma peculiar, à memória um Manual de Memórias para Esquecidos: Por que é que aos 15 anos o verão nos parecia mais azul? Como se relacionam uma cassete de áudio e uma caneta BIC? E que recordações associamos ao Hotel California, dos Eagles?


Viajando no tempo para recordar os bons velhos tempos, em «A Sebenta do Tempo», neste Manual de Memórias para Esquecidos, Mário Augusto compila as mais queridas recordações de infância daqueles que a viveram entre as décadas de 60 e 70, prometendo momentos saudosistas e revivalistas aos que acarinham memórias da meninice: entre Lambarices e Guloseimas, Leituras e BD, Gira-Discos e Cassetes Piratas no Parque de Diversões, o autor guia os leitores numa autêntica expedição ao passado.


Sendo uma figura acarinhada pelo público devido ao seu trabalho em Cinema, Mário Augusto desafia todos os leitores a imergir no passado e a partilhar as suas memórias neste livro que, com um grafismo muito original, que lembra um diário de recortes, proporciona-nos verdadeiros momentos de nostalgia e de lembrança.


A título de curiosidade, diremos que Mário Augusto nasceu em Março de 1963, em S. Félix da Marinha, perto de Espinho. Jornalista de televisão desde 1986, autor e apresentador de vários programas de divulgação de cinema.


Começou a carreira no jornal O Comércio do Porto. Colaborou no Se7e, na revista Sábado e no Público. Foi um dos fundadores da SIC. Trabalhou como radialista na Rádio Comercial, na Antena 1, na Antena 3 e na Rádio Nova, no Porto.


É o jornalista português que mais estrelas de cinema entrevistou para televisão, contando mais de 2 mil entrevistas ao longo de 28 anos. Fundou e dirigiu a revista Cinemania, realizou e produziu documentários já premiados, foi autor de argumentos para televisão. Na RTP criou e dirige o projeto Academia RTP, destinado a formar e a descobrir novos criadores de audiovisual.


Coordena e apresenta o mais antigo magazine de cinema da televisão Portuguesa, o Janela Indiscreta. É casado e pai de 3 filhos. Vive onde sempre viveu, em Espinho, uma paisagem à beira-mar que não troca por nada.
          Foi uma jornada cultural muito participada, agradável e bem-humorada.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

À conversa com... Mário Augusto

No próximo dia 13 de Janeiro, sexta feira, às 21.30 horas, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, vamos estar à conversa com o jornalista Mário Augusto, autor do livro intitulado  A Sebenta do Tempo.


O autor




Mário Augusto nasceu em março de 1963, em S. Félix da Marinha, perto de Espinho. É jornalista de televisão desde 1986, autor e apresentador de vários programas de divulgação de cinema.
Começou a carreira no jornal O Comércio do Porto. Colaborou no se7e, na revista Sábado e no Público.
Foi um dos fundadores da SIC. Trabalhou como radialista na Rádio Comercial, na Antena 1, na Antena 3 e na Rádio Nova, no Porto.
É o jornalista português que mais estrelas de cinema entrevistou para televisão, contando mais de 2 mil entrevistas ao longo de 28 anos.
Fundou e dirigiu a revista Cinemania.
Realizou e produziu documentários já premiados, foi autor de argumentos para televisão. Na RTP criou e dirige o projecto Academia RTP, destinado a formar e a descobrir novos criadores de audiovisual.
Coordena e apresenta o mais antigo magazine de cinema da televisão Portuguesa, o Janela Indiscreta.

Sinopse

Ainda se lembra das suas primeiras Sanjo? E da revista O Falcão? Ainda se recorda do dia em que viu o homem pisar a Lua? É de memórias e nostalgia que se faz este livro, de saudades desse tempo da nossa juventude, um tempo em que os telemóveis eram coisa de ficção científica e em que uma viagem de Lisboa ao Porto demorava meio dia. Mário Augusto abre o baú das recordações e guia-nos numa viagem ao arquipélago da memória, parando em todas as estações e apeadeiros e promete não deixar marco histórico por visitar.