quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

À conversa com... Mário Augusto

No próximo dia 13 de Janeiro, sexta feira, às 21.30 horas, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, vamos estar à conversa com o jornalista Mário Augusto, autor do livro intitulado  A Sebenta do Tempo.


O autor




Mário Augusto nasceu em março de 1963, em S. Félix da Marinha, perto de Espinho. É jornalista de televisão desde 1986, autor e apresentador de vários programas de divulgação de cinema.
Começou a carreira no jornal O Comércio do Porto. Colaborou no se7e, na revista Sábado e no Público.
Foi um dos fundadores da SIC. Trabalhou como radialista na Rádio Comercial, na Antena 1, na Antena 3 e na Rádio Nova, no Porto.
É o jornalista português que mais estrelas de cinema entrevistou para televisão, contando mais de 2 mil entrevistas ao longo de 28 anos.
Fundou e dirigiu a revista Cinemania.
Realizou e produziu documentários já premiados, foi autor de argumentos para televisão. Na RTP criou e dirige o projecto Academia RTP, destinado a formar e a descobrir novos criadores de audiovisual.
Coordena e apresenta o mais antigo magazine de cinema da televisão Portuguesa, o Janela Indiscreta.

Sinopse

Ainda se lembra das suas primeiras Sanjo? E da revista O Falcão? Ainda se recorda do dia em que viu o homem pisar a Lua? É de memórias e nostalgia que se faz este livro, de saudades desse tempo da nossa juventude, um tempo em que os telemóveis eram coisa de ficção científica e em que uma viagem de Lisboa ao Porto demorava meio dia. Mário Augusto abre o baú das recordações e guia-nos numa viagem ao arquipélago da memória, parando em todas as estações e apeadeiros e promete não deixar marco histórico por visitar. 

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Conversa com Alexandra Lucas Coelho

No dia 18 de Novembro, na Biblioteca Municipal, a conversa com Alexandra Lucas Coelho a propósito do seu mais recente livro intitulado Deu-dará foi assim...







sexta-feira, 14 de outubro de 2016

À conversa com... Alexandra Lucas Coelho

No próximo dia 4 de Novembro, sexta feira, às 21.30 horas, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, vamos estar à conversa com a escritora Alexandra Lucas Coelho a propósito do seu mais recente livro intitulado  Deus-dará.





A Autora
Alexandra Lucas Coelho nasceu em Dezembro de 1967, em Lisboa. Estudou teatro, e comunicação na Universidade Nova. Tem carteira de jornalista desde Janeiro de 1987. Trabalhou dez anos na rádio, como repórter e editora, e entre 1998 e 2012 no jornal «Público», tendo coberto várias zonas de conflito, sobretudo no Médio Oriente e Ásia Central, incluindo uma temporada baseada em Jerusalém. Em 2010 fez uma viagem pelo México e mudou-se como correspondente para o Rio de Janeiro, onde morou até 2014. Foram-lhe atribuídos vários prémios de jornalismo.
Publicou cinco livros de reportagem-crónica-viagem: «Oriente Próximo» (2007), «Caderno Afegão» (2009), «Viva México» (2010), «Tahrir» (2011) e «Vai, Brasil» (2013). Em 2012 lançou o seu primeiro romance, «E a Noite Roda», vencedor do Grande Prémio de Romance e Novela APE 2012, e em 2014 o segundo, «O Meu Amante de Domingo», que saiu em francês, pelas Éditions du Seuil. «Deus-dará» é o seu mais recente romance.
Vários dos seus livros estão publicados no Brasil.


O Livro
Depois de «E a Noite Roda» (Grande Prémio de Romance e Novela APE 2012) e de «O Meu Amante de Domingo» (Livro do Ano Público | Time Out), eis o novo livro de uma das grandes vozes da ficção actual.
Um romance passado agora, que atravessa quinhentos anos de história entre Portugal e Brasil.
«Inês pisca os olhos, tanta gente num mar de luz, floresta cobrindo morro. Nunca mergulhou numa cidade assim. Paraíso deserto é fácil mas isto são milhões de pessoas. Massa humana e natureza. Mais que sul do mundo, outro mundo.
— O apocalipse nunca vai acontecer aqui —diz ela, quase sem pé, apoiada em Tristão.
— Ao contrário. — Os olhos dele estão vermelhos. — É aqui que vai acontecer.»

quarta-feira, 29 de junho de 2016

À conversa com... Cristina Carvalho

No próximo dia 15 de Julho, sexta feira, às 21.30 horas, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, vamos estar à conversa com a escritora Cristina Carvalho a propósito do seu mais recente livro intitulado  NO Olhar e a Alma.


A Autora

Cristina Carvalho nasceu em Lisboa a 10 de Novembro de 1949. Durante a sua actividade profissional, contactou com milhares de pessoas e visitou inúmeros países, sendo a Escandinávia e o Oeste português as regiões que mais ama e que mais influência exercem sobre o seu imaginário e a sua personalidade enquanto transitório ser humano do sexo feminino, habitante do planeta Terra e, por acaso, escritora. Não por acaso, nesta sua actividade a que não chama profissional, é já autora de oito livros, com o presente, e outros seguirão. Até à data, tem publicados: Até já não é adeus (1989); Momentos Misericordiosos (1992); Ana de Londres (1996); Estranhos Casos de Amor (2003); O Gato de Uppsala (2009, seleccionado para o Plano Nacional de Leitura); Nocturno: o Romance de Chopin (2009); Tarde Fantástica (2011), A Casa das Auroras (2011), Lusco-Fusco (2012, PNL), Marginal (2013), Quatro Cantos do Mundo (2014, PNL).


O Livro

Baseado na vida de Amedeo Modigliani, o mítico pintor italiano cuja obra é considerada uma das mais importantes do século XX e a vida apesar de inspirar um fenómeno de culto, não é, afinal, tão conhecida quanto se pensa, Cristina Carvalho regressa ao terreno da ficção biográfica com um romance que põe em cena o pintor, contando-nos ele próprio a sua vida sempre difícil, muitas vezes miserável, conduzida pela paixão à arte, amparada por mulheres apaixonadas e alguns raros homens que lhe reconheceram o talento.


Da luta contra a doença desde a infância à luta pelo reconhecimento numa Paris onde o génio borbulhava em todo o tipo de manifestações e a concorrência era muitas vezes impiedosa, mas onde a generosidade e a solidariedade encontravam também terreno fértil, Modi será sempre um príncipe exilado, por quem as mulheres se apaixonam sem apelo, por quem Picasso nutrirá uma antipatia feroz, em quem Amadeo de Souza Cardoso verá o génio artístico que muitos outros se recusam a ver, oferecendo-lhe amizade e exposição no seu atelier.

Fotos da conversa com Alberto S. Santos







quinta-feira, 2 de junho de 2016

À conversa com... Alberto S. Santos

No próximo dia 24 de junhosexta feira, às 21.30 horas, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, vamos estar à conversa com o escritor Alberto S. SantosNesta sessão será apresentado o seu último livro intitulado "Para lá de Bagdad".

O Autor

Alberto S. Santos é formado em Direito pela Universidade Católica Portuguesa. É natural de Paço de Sousa, Penafiel, onde reside.
Publicou os bestsellers A Escrava de Córdova (2008), A Profecia de Istambul (2010), O Segredo de Compostela (2013) e Para lá de Bagdad (2016). Participa também na Coletânea de Contos de autores lusófonos Roça Língua (2014).



O Livro

A 21 de junho de 921, Ahmad ibn Fadlan, emissário do califa, parte de Bagdad para uma arriscada missão na Bulgária do Volga, na Rússia atual. Para trás, deixa os mestres e companheiros da Casa da Sabedoria, que ergueram a época dourada do Islão.

Os perigos que encontra ao longo do caminho levam Ahmad a alterar o rumo da viagem e a dirigir-se para as terras nórdicas do sol da meia-noite. Ao longo da jornada, vive um amor proibido com Zobaida, a bela escrava do tio, que o faz repensar toda a sua existência.

Por entre climas adversos, costumes bárbaros de povos não civilizados e inesperados jogos de poder, o emissário do califa descobre um desconcertante mundo novo. Ao mesmo tempo, em Bagdad, assiste-se ao início de uma nova era: os sábios são perseguidos e os livros queimados na praça.


Um romance envolvente sobre um dos momentos mais intrigantes da História da Idade Média, que dá a conhecer os alicerces de uma civilização ainda hoje tão deslumbrante quanto desconhecida.

Mensagem de Ana Margarida de Carvalho a propósito da conversa realizada no passado dia 27 de Maio


Fotos da conversa com Ana Margarida de Carvalho









sexta-feira, 6 de maio de 2016

À conversa com... Ana Margarida de Carvalho

No próximo dia 27 de Maio, sexta feira, às 21.30 horas, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, vamos estar à conversa com a escritora Ana Margarida de Carvalho a propósito do seu mais recente livro intitulado  Não se pode morar nos olhos de um gato.

A Autora

Ana Margarida de Carvalho nasceu em Lisboa, onde se licenciou em Direito pela Universidade de Lisboa.
O seu primeiro romance Que Importa a Fúria do Mar venceu por unanimidade o Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB em 2013 e foi finalista de muitos dos principais prémios literários referentes à data de publicação.
As suas reportagens valeram-lhe uma dezena de distinções, entre as quais o Prémio Revelação Gazeta, do Clube de Jornalistas de Lisboa, e o Prémio Nacional Alexandre Herculano, do Clube de Jornalistas do Porto.
Repórter, cronista, guionista, crítica de cinema, tem contos espalhados por várias publicações e colectâneas, foi prefaciadora da reedição de Alexandra Alpha, de José Cardoso Pires (Relógio d'Água) e é co-autora, com Sérgio Marques, do livro infantil A Arca do É (Teorema). Não se Pode Morar nos Olhos de um Gato, é o seu segundo romance.

O Livro

Em finais do século XIX, já depois da abolição da escravatura, um tumbeiro clandestino naufraga ao largo do Brasil.
Um grupo de náufragos atinge uma praia intermitente, que desaparece na maré cheia: um capataz, um escravo, um mísero criado, um padre, um estudante, uma fidalga e sua filha, um menino pretinho ainda a dar os primeiros passos... Todos são vencedores na morte, perdedores na vida.
O mar, ao contrário dos seus antecedentes quotidianos, dá-lhes agora uma segunda oportunidade, duas vezes por noite, duas vezes por dia.
Ao contrário do que pensam, não estão sós naquele cárcere, com os penhascos enquanto sentinelas, cercados de infinitos, entre o céu e o oceano. Trazem com eles todos os seus remorsos, todos os seus fantasmas. E mais difícil do que fazerem-se ao mar ou escalarem precipícios será ultrapassarem os preconceitos: os de raça, os de classe social, os de género, os de credo.
Para sobreviverem, terão de se transformar num monstro funcional com muitos braços e muitas cabeças; serão tanto mais deuses de si próprios quanto mais se tornarem humanos e conseguirem um estado de graça a que poucos terão acesso: a capacidade de se colocarem na pele do outro.


Depois do aplauso unânime a Que Importa a Fúria do Mar, Ana Margarida de Carvalho regressa à ficção com um romance poderoso, brilhante e avassalador.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

À conversa com ... João Ricardo Pedro

No próximo dia 22 de Abril, sexta feira, às 21.30 horas, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, vamos estar à conversa com o escritor João Ricardo Pedro a propósito do seu mais recente livro intitulado  Um postal de Detroit.


A Obra

Em Setembro de 1985 dá-se um choque frontal de comboios em Alcafache. Algumas das vítimas mortais, presas nas carruagens a arder, nunca chegam a ser identificadas. No dia seguinte, a mãe de Marta recebe um inesperado telefonema informando que a mochila da filha – estudante de Belas-Artes – apareceu entre os destroços.
Partindo dos cadernos de desenho de Marta – uma espécie de diários visuais que espelham um quotidiano tão depressa sórdido como maravilhoso –, o narrador deste romance tenta recriar os passos da irmã nos tempos que antecederam o acidente. E, enquanto o faz, dá-nos a conhecer um leque de figuras absolutamente inesquecíveis, entre as quais se contam prostitutas, boxeurs, polícias e assassinos, mas também anjinhos de procissão, médicos e senhoras da caridade. E, claro, ele próprio – o mais ausente dos cadernos de Marta.
Depois do celebrado O Teu Rosto Será o Último, que venceu o Prémio LeYa em 2011 e foi traduzido em cerca de dez línguas, incluindo chinês e árabe, João Ricardo Pedro regressa à ficção com um romance delirante e avassalador sobre a ténue fronteira que existe entre sanidade e loucura e os laços perturbadores que tantas vezes unem a vida à arte.

O Autor

João Ricardo Pedro nasceu na Reboleira a 18 de Agosto de 1973.Licenciou-se em Engenharia Electrotécnica no Instituto Superior Técnico, tendo trabalhado mais de dez anos em Telecomunicações. Em 2009, encontrando-se desempregado por força da crise, começou a escrever o seu primeiro romance, O Teu Rosto Será o Último, que viria a ganhar o Prémio LeYa em 2011 e a ser um dos livros mais vendidos do ano. Traduzido em várias línguas, a obra alcançou o sucesso também fora de portas, especialmente em França, onde foi recomendada pelos livreiros e a imprensa não lhe poupou elogios, referindo o autor como a nova estrela da galáxia portuguesa. Tem sido convidado para numerosos encontros literários em Portugal e no estrangeiro. Depois de alguns contos publicados em revistas e jornais, Um Postal de Detroit é o seu segundo romance.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

À conversa com... Gonçalo Cadilhe

No próximo dia 4 de março, sexta feira, às 21.30 horas, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, vamos estar à conversa com o escritor Gonçalo Cadilhe

O Autor


Gonçalo Cadilhe nasceu na Figueira da Foz em 1968, cidade onde cresceu e que mantém como residência. Licenciou-se em Gestão de Empresas na Universidade Católica do Porto, em Setembro de 1992, fazendo parte da primeira "fornada" de licenciados deste curso. Durante os anos da Universidade frequentou também a Escola de Jazz do Porto. Depois de uma breve passagem pelo mundo da Gestão de Empresas, em Abril de 1993 começou a viajar e a escrever sobre viagens de forma profissional. Tem dez livros publicados e assinou três documentários de viagens para a RTP2. Organiza e acompanha mini-tours pelo globo em colaboração com a agência PLV (www.pintolopesviagens.com).

O livro

O livro de que falaremos destina-se todos os que sonharam já em viajar mas nunca souberam por onde começar nem nunca foram encorajados a partir. Destina-se a tipos gregários que nunca encontram companhia para viajar, para que fiquem a saber que a melhor companhia é a que se arranja viajando. Destina-se a mulheres independentes que irão descobrir que não precisam de um homem para nada se quiserem desaparecer pelo mundo durante uns tempos. Destina-se a pais cépticos ou preocupados por verem os filhos partir em viagem. Destina-se também a pais desesperados pela falta de maturidade dos filhos, que encontrarão aqui a melhor terapia de choque para os fazer crescer. E ainda, destina-se também a pais que partem em viagem deixando filhos invejosos e perplexos por os verem gozar a reforma com uma mochila às costas. Dos 7 aos 77 anos, nunca foi tão fácil viajar como agora. “O Mundo É Fácil” demonstra-o.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016