quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

À conversa com... Inês Pedrosa

Dia 25 de Janeiro, às 21.30 horas, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, vamos conversar com... Inês Pedrosa, a propósito do livro "Dentro de ti ver o mar".




A Autora
 
Inês Pedrosa (n. 1962) é licenciada em Comunicação Social pela Universidade Nova de Lisboa. Trabalhou em vários jornais ("O Jornal", "JL", "O Independente", "Expresso") e revistas ("Marie Claire", de que foi directora durante 3 anos e "Ler"). O seu primeiro romance, "A instrução dos amantes", foi publicado em 1992, e nele traçava as estratégias da vida adulta sobre um microcosmos de adolescentes suburbanos. Cinco anos mais tarde surgiu "Nas tuas mãos", onde a autora nos leva a imaginar o Portugal das últimas décadas, através das emoções das três protagonistas, três mulheres (avó, mãe e filha) que cruzam destinos e memórias que atravessam o século XX. Outras obras publicadas: “Fazes-me falta” (2002); “A menina que roubava gargalhadas” (2002); “Fica comigo esta noite”, contos (2003); “Carta a uma amiga”, com Maria Irene Crespo (2005); “Do grande e do pequeno amor”, com Jorge Colombo (2006); “A eternidade e o desejo” (2007); “Os íntimos” (2010).
Publicou ainda uma magnífica "Fotobiografia de José Cardoso Pires", e os livros "20 Mulheres para o Século XX" e "Poemas de Amor (antologia de poesia portuguesa)", que seleccionou, organizou e prefaciou, ambos editados por Publicações D. Quixote; “Anos Luz: trinta conversas para celebrar o 25 de Abril” (2004); “Crónica Feminina” (2005); e “No coração do Brasil – seis cartas de viagem ao padre António Vieira” (2008).
 
“Dentro de ti ver o mar”  é o seu mais recente romance.

 
O Livro

Dentro de ti ver o mar. A frase era dele, e dissera-a sem sequer gaguejar. Dentro dela Gabriel perdia completamente a gaguez. A frase era dele e agora Rosa esperava que viesse reivindicar-lha. Era esse o seu engenho emancipatório. Dessa frase que não lhe pertencia surgira uma letra de fado e o sucesso da fadista, numa Lisboa saturada de novos heróis do fado. Procissões de artistas despontavam diariamente para o anonimato. O fracasso subia-lhes à cabeça.

A vida da fadista Rosa, que procura o pai que nunca conheceu, cruza-se com a de Farimah, que escapa ao fado desenhado pelo pai, e com a de Luísa, que não teve mãe e ofereceu a filha. A história de três mulheres desobedientes e de como cada uma delas encontra a sua própria voz.